Monday, May 22, 2006

dias curtos



Talvez eu seja mesmo a moça triste
A frustração dos dias curtos
Das noites baixas
Do dia claro (prefiro os cinza-claros)
Do riso raro
Do enfado de todo trabalho

Talvez eu guarde rancor
Talvez

Talvez seja tristeza
Talvez seja doença

Talvez passe

Talvez eu ainda seja o pensamento da menina do alpendre

Talvez eu vá
Talvez eu fique

Talvez eu me mude no mês que vem
Talvez me separe
Talvez case
Talvez mate (por amor)
Por ódio talvez
Talvez

Se tudo fosse outro que não esse
Se eu não fosse vagão vagante
E se o resto não fosse trem tão longe, tão distante

Talvez se meu trem fosse de carga
E se a empilhadeira empilhasse
Talvez se eu tivesse trazido outro bilhete, feito outro trajeto
Se eu ainda sorrisse
Se eu ainda chorasse

Se eu soubesse ficar calada
Escrever bem
Prestar atenção
Afinar a voz
E sorrir baixinho

Ah, se eu soubesse ser feliz,

eu diria:

Não sou mais poeta



12 comments:

Daniel said...

e não é que escreveu mesmo...
vou precisar de um folego pra responder a altura.

ok barbie?
lembranças do Playmobill

joão alguém said...

talvez
eu não seja
eu

jamais

Daniel said...

e se....

vc me deixasse sonhar?

Bjo do seu Playmobill favorito.

Daniel said...

é barbie, tempo de reformular.

chega de estudar, entra aí no msn besta...

bjo do Gulliver.

Dani Morreale said...

Ainda bem que você sabe de tudo (mesmo pouco - porque nunca se sabe tanto) você sabe!

plac-palc

Palmas pra senhorita!!!!

Rebeca said...

é bem isso mesmo, eu escrevo melhor quando não estou bem...
creio que com a maioria das pessoas é assim mesmo!!
a-mei o poema..lindo!
bjoO

B R E N A said...

Não é mais poeta? Quem há de ser?

Rodrigo "Kiko" Torres said...

Oi moça triste,
Tô sentindo falta das novidades aqui.
Espero que aprenda a ser feliz, mas que continue poeta.

§ilvia said...

Poeta uma vez... Sempre poeta...

Mesmo com todos os "ses"...

Sem palavras!!!

Beijo.

Luiz Carlos Reis said...

Palavras ditas enobrecem e, ao vento nos tornam poetas restritos quando queremos.
A blogosfera nos edifica à cada instante, Parabéns!
Abraços!

Flora said...

Os cinza-claros.
Porque ninguém é preto ou branco, mas o cinza, claro.

ErikaGrizzo said...

São nos dias cinzas q a gente se conhece, q a gente se entende.
Q seriam de nós se todos os dias fossem azuis? ou rosa?
Não teria graça... não sairiam poemas... não teríamos assunto pra serem questionados.

Eu prefiro o cinza.